Publicado em

Westworld 2ª Temporada -Ep.1: Journey Into Night

Desde o começo Westworld se assume como uma fabula sobre desejos e atitudes. É por isso mesmo que, nessa 2ª temporada, toda engrenagem que carrega o discurso de roteiro a […]

Desde o começo Westworld se assume como uma fabula sobre desejos e atitudes. É por isso mesmo que, nessa 2ª temporada, toda engrenagem que carrega o discurso de roteiro a ser seguido, cai por terra justamente por conta do caos se instaurou no final da 1ª temporada.

Verdade seja dita, esse primeiro episódio é um deleite para os fãs, mas não chega ao mesmo nível de qualidade do piloto. É sempre ótimo ver Maeve (Thandie Newton) e Dolores (Evan Rachel Wood) matando meio mundo, com a justificativa de que o mundo delas foi ‘dominado’ por aqueles que acreditam serem os reais lideres da coisa toda. Como os papeis acabaram se invertendo nesse início de temporada, não é  imaginar cenários ainda piores para os humanos.

Contudo, a lógica não se aplica a Westworld, e temos anfitrião matando anfitrião, sem qualquer justificativa plausível. É interessante notar que a persona de Ford (Anthony Hopkins) continua extremamente ativa no parque, mas com uma conotação negativa, e não de liderança, já que o final da 1ª temporada nos fez questionar a sanidade do idealizador do mundo de Westworld.

É aí que o 1º episódio brilha. Subvertendo todas as expectativas, a história toma um rumo no qual os humanos acreditam estar no comando da situação, e o mesmo se aplica aos anfitriões. Ou seja, na verdade nenhum dos lados sabe bem o que vai acontecer, e cabe novamente ao Homem de Preto (Ed Harris) esclarecer qual o jogo proposto por Ford.

Como um primeiro episódio depois de uma temporada incrível, o que se vê é justamente aquilo que você não espera. É por isso que a série é tão boa.

                                                   Ótimo

Deixe sua opinião