Review: A Lenda do Herói

Por Vitor Oliveira

 Alguns jogos ganham fama e admiração não exatamente por sua qualidade inquestionável.

Em alguns casos a experiência proporcionada, ousadia e mesmo a tentativa de inovação são levadas em conta para julgar um jogo e sua relevância. A Lenda do Herói é um amontoado de grandes ideias, ousadia e diversas boas tentativas, mas que em diversos momentos se mostra falho.

A ideia para A Lenda do Herói, surgiu com uma série de vídeos no YouTube – criados pelos Castro Brothers, que tiveram participação direta na produção do jogo e na arrecadação de fundos para a produção. Após o sucesso dos vídeos, que traziam uma jornada de um herói ao estilo Wonder Boy, brincado sempre com clichês clássicos dos games, foi financiada através de financiamento coletivo através do site Catarse. O jogo rapidamente tornou-se o jogo com maior número de financiadores da história do Catarse, com mais de seis mil apoiadores.

Como resultado final, temos o jogo A Lenda do Herói (em breve em inglês como Songs for a Hero), um jogo de plataforma ao estilo mais clássico, cuja a grande novidade e inovação é sua trilha sonora que acompanha o jogador em suas ações – a canção narra os eventos jogados pelo jogador conforme o personagem avança pelo cenário.

A ideia é de fato executada no game com certa maestria, porém o jogo precisa fazer concessões para que as canções não pareçam desalinhadas com a trilha base da fase, ou que os eventos do jogo não cortem as narrações. Infelizmente, em certos momentos a trilha é cortada de forma um pouco abrupta quando o jogador ativa um evento antes da última estrofe ser concluída – o que faz com o personagem fique parado por alguns instantes até que a nova parte da canção comece.

lenda

Como ponto positivo em adição a bela e bem humorada trilha sonora, estão os gráficos do jogo. O jogo é totalmente construído em pixel art e contempla os gráficos dos jogos que inspiraram a criação do game. Os cenários possuem uma bela arte, porém em alguns estágios o level design parece ter sido feito para inflar artificialmente a duração do jogo – como por exemplo partes de plataforma exageradas para inflar a dificuldade, e dessa forma a duração da jornada.

A dinâmica de combate é extremamente simples e intuitiva, limitando-se aos comandos básicos de um game de plataforma, acrescendo os comando de ataque, defesa e o uso de poções e magias. O jogo raramente exige que o jogador tenha de se desdobrar ao teclado para vencer os inimigos, entretanto o jogo exige bastante atenção nas partes de plataforma – definitivamente a parte mais problemática de diversos estágios, onde voltamos aos problemas de games antigos onde alguns pixels realmente fazem diferença no pulo.

Os problemas de A Lenda do Herói em geral estão relacionados aos seus bugs. Em diversos momentos o sistema de colisão do jogo demonstra falhas, tornando a experiência mais degradante quando os erros passam a aparecer com mais frequência em alguns elementos do cenário. O jogo também apresenta problemas graves de crashing nas versões para computador, muitas vezes quando a resolução do jogo é alterada durante o jogo no menu opções, ou em alguns casos mais raros, o jogo apresenta falha e fecha durante a partida.

lenda3

No final, A Lenda do Herói é um bom jogo – que mostra que sim, jogos brasileiros também são bons jogos. É uma experiência única e divertida, mas com alguns problemas de polimento em seus aspectos técnicos que podem comprometer a diversão quando aparecem no momento errado (Maldita jangada!). Problemas em geral compensados por seu bom humor, humildade em não tentar fugir dos mais diversos clichês ironizados durante as canções. O mais importante é – A Lenda do Herói é sobretudo um jogo divertido.

Bom                                                            Bom